6 de jul de 2013

RESENHA: A METAMORFOSE


Hey guys! Bom, novidade! Hoje, estou publicando a primeira resenha no blog. Espero que gostem, já que esse livro me prendeu logo quando acordei. A partir disso, vamos para os próximos livros :D

Título: A Metamorfose
Autor: Franz Kafka
Tradução: Modesto Carone
Editora: Companhia Das Letras
Edição : 1/1985
Idioma : Português
Número de Paginas : 96
Classificação: ★★★★





Gregor Samsa acorda numa manhã metamorfoseado num inseto monstruoso. É um caixeiro-viajante que trabalha em uma firma, onde, nunca se atrasa. A partir daí, começam surgir algumas situações que prendem o leitor.

Gregor mora com sua família: pai, mãe e irmã. Todos da casa começam a ficar preocupados pelo fato dele não sair do quarto e se surpreendem quando o chefe da firma vai à casa pedir satisfação pela ausência de Gregor no trabalho, já que é um rapaz que é extremamente comprometido com horários.

Ao longo da narrativa, podemos acompanhar como a família faz o esforço para descobrir qual o melhor comportamento para se adequar à situação. De início, Gregor sente uma preguiça de levantar da cama e começa a ser desajeitado por conta das suas perninhas e do seu novo corpo. Dá trabalho para se colocar de pé na porta e sair do quarto. Em seguida, os acontecimentos surgem fazendo com que, quem lê, perca até a noção do tempo.

"Queria primeiro levantar-se, calmo e sem perturbação, vestir-se e sobretudo tomar o café da manhã, e só depois pensar no resto." (A Metamorfose, Franz Kafka)

A novela é escrita pelo Franz Kafka, um mestre na ficção universal, narrada em terceira pessoa, onde possui uma leitura um tanto preguiçosa e causa bocejos logo no primeiro capítulo quando Gregor descobre as suas mudanças e não sente vontade de levantar da cama. O autor costuma ser bastante detalhista em algumas cenas, provocando no leitor a capacidade de criar a imagem da metamorfose no personagem.

O livro foi traduzido por Modesto Carone, publicado pela editora Companhia das Letras. Apesar do tamanho, Kafka o escreveu no espaço de vinte dias, entre 17 de Novembro e 7 de Dezembro de 1912, quando tinha 29 de idade.




---
Um abraço!

6 comentários :

  1. Sempre vejo referências ao livro, principalmente em séries, mas nunca o li. Quero muito lê-lo, parece mesmo ótimo.

    Abraço!
    http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Hey, Matheus!
    A sua resenha ficou incrivelmente maravilhosa, cara! Você soube conduzir muito bem as ações do personagem intercalando com a sua opinião, ótima resenha. O livro possui uma premissa muito interessante e me deixou com uma vontade maluca de ler! O autor é bem detalhista - e isso me incomoda -, contudo, estou muito afim de ler o livro! Oh, shit...

    Um abraço velho, http://umleitoramais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oii Matheus, primeira vez aqui e gostei muito (seguindo aqui e no insta!)
    Ha eu nunca tinha visto esse livro, acredita? mas o nome em si me chamou bastante atenção! Vou atrás dele para comprar :)

    Bjinhos

    ResponderExcluir
  4. Oi Camila! Obrigado, muito mesmo! O livro é muito bom, vale à pena você comprar e gastar um tempinho com ele.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Eu ja li esse livro! Embora eu tenho começado a ler ele de uma forma e tenha terminado da mesma forma, pois ele não trouxe sentimentos significativos para minha pessoa, gostei muito. Não sei explicar. Só sei que terminei e fiquei com vontade de ler de novo, mesmo sendo um pouco entediante, como você disse. Não entendi muito bem o que o autor quis fazer transformando o homem em besouro, mas fiquei feliz com a atitude da família, que com o tempo foi esquecendo que aquele era um membro da mesma. Gosto dessas coisas bem "realistas", sabe! KKK Muito boa sua resenha e a foto.
    big hug! Eduardo o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eduardo! O livro é realmente apaixonante. Depois que terminei de ler, já me imaginei lendo novamente. O autor soube como misturar tudo de uma forma que prendesse o leitor. Muito obrigado!

      Outro grande abraço!

      Excluir